sábado, 3 de janeiro de 2015

Son Goku: uma personagem extraordinária


O que quer que se ache do universo de Dragonball, é inevitável reconhecer o fenómeno mundial em que se tornaram. Perdeu algum fulgor nos últimos anos, mas ainda assim continuam a aparecer filmes e jogos com regularidade.

Nos tempos áureos, da manga e depois da anime, era difícil encontrar miúdo que não soubesse os nomes de todas as personagens e os pormenores de todos os arcos narrativos. Desde a ingénua demanda pelas Bolas de Cristal de um Son Goku criança e uma Bulma adolescente, até ao épico confronto com Bu, toda essa realidade teve uma evolução significativa e bem visível.

E com o mundo, evoluíram também as personagens, aquilo que este universo sempre teve de melhor. Coraçãozinho de Satã, inicialmente inimigo e mais tarde fundido com o mais poderoso guerreiro namekiano e Kami-Sama; Vegeta, o príncipe dos Sayanjins, orgulhoso e mortífero, o inimigo mortal que se torna mais um amigo; Krillin, a personagem conhecida por morrer com frequência e que é também das mais humanas durante a saga do Cell; enfim, tantas outras. É realmente incrível como Akira Toriyama conseguiu construir este fantástico elenco, que ainda encanta gerações atrás de gerações, já longe do seu começo há trinta anos.

Sempre fui fã, praticamente incondicional. Portanto podia ficar aqui muito tempo e escrever muita coisa sobre Dragonball - talvez ainda o faça, que quero rever a anime e ver finalmente os filmes!! - mas desta vez vou-me focar numa das minhas personagens favoritas que, surpreendentemente, é a personagem principal: Son Goku.


O seu protagonismo chega a ser ridículo. Não há um única situação que se resolva sem ele. Mesmo no fim da saga do Cell, que Son Gohan derrota, é só depois do incentivo e da ajuda-do-além do pai, Son Goku. De resto, ele até tenta dar a vez a outras pessoas para salvarem o mundo, mas acabam sempre por fazer asneira ou serem derrotadas de maneiras ridículas, e é Son Goku que tem de acabar o serviço.

Não é difícil perceber que há aqui um problema grave de construção de enredo, que é demasiado comandado pelo destino desta personagem, de tal forma que a manga não se devia chamar Dragonball mas sim Son Goku salva o mundo: outra vez.

Mas se ignorarem esse (grande) pormenor e se focarem na personagem, talvez fiquem surpreendidos. Son Goku é dos heróis mais originais que existe, o completo oposto daquele arquétipo de anti-herói que anda tão na moda. É inocente, ingénuo, divertido, carinhoso e genuinamente bom. Aliás, a certa altura a manga faz questão de nos mostrar isso de forma bastante explícita, ainda durante o primeiro arco narrativo - a saga da Legião Vermelha - quando ele luta contra um dos monstros da bruxa Baba.

Esse monstro é capaz de disparar um raio que ao encontrar o mais pequeno vestígio de maldade, faz explodir o coração da pessoa. Ou a pessoa. Qualquer coisa assim explosiva e sangrenta. Ora, quando esse raio atinge Son Goku, é perante a surpresa geral que o desgraçado fica completamente incólume, porque é genuinamente bom e intrinsecamente incapaz de fazer/dizer/pensar o mal.

E se ficássemos por aqui, tudo bem, mas agora reparem em como este rapaz que conhecemos no início, assim tão ingénuo e bom, é também a personagem mais forte, de longe. E que tem uma cauda, que faz com que se ele olhar para a Lua se transforme num macaco gigante super poderoso. Bizarro? Sem dúvida? Fantástico? Sem dúvida!


Mas há mais! Esta criança cresce e torna-se num adulto responsável e mais realista e conhecedor do mundo que o rodeia, mas nunca deixa de ser a criança que fica espantada com o carro de Bulma. Casa, por muito peculiares que tenham sido as circunstâncias, tem filhos, morre, ressuscita, derrota tudo e todos... Enfim, uma vida normal no universo de Dragonball.

O que é que precisam mais? Uma faceta trágica? Que tal o facto de, em criança, ele se ter transformado em macaco gigante numa noite de Lua cheia e ter morto o avô, sem se lembrar de nada? Apenas sabe que o avô foi morto por um monstro, não faz a mínima ideia de que ele é um monstro. Já acham incrível?

Então só conhecendo a personagem. Aqui temos alguém super poderoso, que ultrapassa frequentemente todos os limites possíveis e imaginários e parece sempre estar mais do que um passo à frente de todos os outros, capaz de recuperar de uma luta ainda mais forte, incapaz de desistir seja do que for, mas sem se incomodar com por vezes ter que dar o lugar a outra pessoa, seja porque motivo for.

E além disso é um marido dedicado, um pai carinhoso, um amigo bondoso, um herói e um ídolo, sem nunca perder uma pinga da sua humildade nem da sua essência de puto ingénuo. E tudo isto enquanto gere o orgulho Sayanjin que herdou, que o faz ter uma paixão pela luta completamente fora do comum.


Impressionante, se querem que vos diga. Completamente impressionante. A sua evolução é tão fantástica que parece real: não acho estranho quando começo a falar dele como se fosse uma pessoa real, porque é praticamente isso que ele é. E além de me ter acompanhado na infância, continuou a acompanhar-me sempre. Vocês não fazem ideia do contente que eu andava, há mais de dez anos, quando andei a coleccionar os livrinhos!

Como podem ver, tenho o tipo nos píncaros. Aconteça o que acontecer, Son Goku é uma personagem simplesmente extraordinária, muito mais digna de nota do que muitas personagens de "livros a sério, sem imagens e que se leiam na direcção certa".

6 comentários:

Jules Pijey disse...

Concordo que o Son Goku é uma personagem que tem muito mais valor do que a maior parte dos protagonistas do que quer que seja mas ainda assim tem momentos tão palermas! A história de ser sempre ele a salvar tudo, então. Ainda assim concordo contigo, no meio disto tudo consegue ser uma personagem muito boa e bastante original. Quem me dera a mim a nuvem dele - que já não me lembro do nome :x

Jules Pijey disse...

Concordo que o Son Goku é uma personagem que tem muito mais valor do que a maior parte dos protagonistas do que quer que seja mas ainda assim tem momentos tão palermas! A história de ser sempre ele a salvar tudo, então. Ainda assim concordo contigo, no meio disto tudo consegue ser uma personagem muito boa e bastante original. Quem me dera a mim a nuvem dele - que já não me lembro do nome :x

Anónimo disse...

Kameaaa-aaahhhhh-mééééééééé!!!!!

Francisco Fernandes

Rui Bastos disse...

Sim, há esse problema, mas tem lógica, tendo em conta as premissas da história :p Rapidamente ele fica tão mais poderoso que todos os outros, que não há hipótese...

Francisco, havia cada um cá com uma fé... E muito tentei eu fazer disso!

Optimus Primal disse...

Sem duvida um dos mais marcantes da saga Dragon Ball,na fase criança ainda não todo poderoso,mas em adulto a uma dependencia enorme dele.

Rui Bastos disse...

E ele é a única pessoa que tenta contrariar isso, deixando a responsabilidade para Gohan, contra o Cell, e mais tarde tentando que sejam Goten e Trunks a salvar tudo, contra Bu. No último caso não corre muito bem, mas pronto, pormenores!