segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Arundhati Roy


Arundhati Roy - nascida a 24 de Novembro de 1961 - é uma autora indiana, activista e cidadã do mundo. Em 1997 ganhou o Booker Prize pelo seu primeiro romance O Deus das Pequenas Coisas.

Nascida e criada em Aymanam na cidade de Kerala, deixou a sua terra-natal aos dezasseis anos para ir viver para Deli, onde embarcou num precário estilo de vida, morando numa pequena cabana de telhado de estanho e ganhando a vida vendendo garrafas vazias.
Mais tarde, decidiu prosseguir estudos e tirou uma licenciatura em arquitectura na Delhi School of Achitecture, onde conheceu o seu primeiro marido - o também arquitecto Gerard da Cunha.

O Deus das Pequenas Coisas é, no entanto, o único romance de Arundhati Roy, que desde o Booker Prize tem concentrado a sua escrita em questões políticas, sendo uma das figuras mais marcantes do movimento anti-globalização/pós-globalização e uma crítica veemente ao neo-imperialismo.

Como resposta aos testes de armas nucleares levados a cabo na Índia, Roy escreveu The End of Imagination, um ensaio sobre as políticas nucleares do governo indiano.

Desde então, Roy tem-se dedicado ao movimento e à critica política, trabalhando por causas sociais em simultâneo, tendo ganho em 2004 o Sydney Peace Prize pelo seu trabalho em campanhas de solidariedade e em 2006 o prémio Sahitya Akademi pela sua colecção de ensaios, prémio esse que declinou.

1 comentário:

Patrícia disse...

O livro "O deus das pequenas coisas" é um dos melhores livros que li.
Como curiosidade ouvi na rádio o resultado de um estudo que o dava como um dos best seller que as pessoas compravam mas não liam.
Boas leituras