quinta-feira, 27 de junho de 2013

BD? Isso é para miúdos!


Queria aproveitar esta minha recente vaga de leituras bedéfilas para falar de mais uma discriminação que se faz com bastante frequência: BD é coisa de miúdos.

Quem diz isto? Toda a gente. Às vezes até leitores informados e cultos, e muito frequentemente aqueles leitores que só lêem autores modernos e profundos, ou os que só lêem clássicos com mais de 150 anos, porque entretanto se deixaram de fazer bons livros.

Ora isto não podia estar mais errado. Há BD para miúdos, mas nem toda a BD é para miúdos. A maior parte da BD não é para miúdos! E é preciso distinguir entre BD e livro para crianças. Uma coisa é um livro de banda desenhada, com vinhetas e essas coisas todas; outra coisa é um livro para crianças, um livro ilustrado.

Entre os primeiros encontram-se todos ou praticamente todos os sub-géneros da literatura que possam imaginar. Dizer que um livro é uma BD é como dizer que é um romance, um poema, ou uma peça de teatro: apenas diz alguma coisa sobre o formato em que o livro está escrito, deixando de fora toda e qualquer informação sobre o conteúdo do livro em si.

É muito importante ter isto em mente, até para não perderam algumas grandes obras que por aí andam e que rivalizam com muito livro dito "normal".

Falo de livros como 2001 Nights, os vários Sin City, os 2 volumes de A Fórmula da Felicidade, o fantástico O Pequeno Deus Cego, o primeiro volume de Saga of the Swamp Thing, o macabro A Última Grande Sala de Cinema, o magistral V for Vendetta, o genial Watchmen, os 2 volumes de O Regresso do Cavaleiro das Trevas que estou agora a ler, e tantos outros!

Reparem que estes são apenas aquelas que já li e achei completamente wooooow! E reparem ainda que disse 4 de autores portugueses. Há BD's que são livros excelentes, e há boa BD portuguesa! E há pessoas que perdem estes livros todos porque "BD é coisa de miúdos..."!

Eu nem sei. A única coisa que posso fazer é aconselhar-vos vivamente a lerem BD. Os exemplos que dei são poucos e são apenas uma pequena amostra do mundo da BD, no qual apenas recentemente comecei a navegar, mas valem a pena cada página lida.

Portanto não façam como os narizes-empinados e não neguem todo um ramo da literatura só porque sim. Leiam BD!

5 comentários:

Nuno Amado disse...

Provavelmente o pior estigma da BD. E o mais grave é que é apoiado e mantido por pessoas que leram em criança e juventude muita BD. Como nunca deram o "salto" para BD adulta, visto que deixaram de ler conforme lhes nasceram os pelos púbicos, então são os principais defensores dessa aberração!
Conheço bastantes assim!
;)

Rui Bastos disse...

Imagino... E é uma pena, porque como disse no post, existem muito boas BD's!

Optimus Prime disse...

Basicamente concordo com o Nuno em tudo.

Eduardo Rodrigues disse...

Iniciei-me na DC com Os Novos 52 e tenho várias revistas já. Já leste Catwoman de Judd Winick e com ilustração de Guillem March? A Corte das Corujas, que consistem nos 12 primeiros números de Batman de Scott Snyder e ilustração de Greg Capullo? O Detective Comics, também dentro d'Os Novos 52? São tudo bandas desenhadas com histórias interessantes e bem desenvolvidas. Ilustrações fantásticas e bem adultas por sinal. O último que referi mostra um Joker de ficar de boca aberta!

Sou um iniciante neste mundo, mas posso dizer que já não sou uma criança, mas sem dúvida que me regalo a devorar os pequenos volumes :)

Excelente texto!

Rui Bastos disse...

Ainda não li nada disso, mas não é por falta de vontade... Obrigado!