quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Eu e o meu e-reader


Como indivíduo do sexo masculino (gajo) que sou, tenho uma queda para gadgets. Não me perguntem a razão, a minha especialidade são mais as matemáticas, mas a paixão por gadgets de todas as formas, cores, feitios, tamanhos e (in)utilidades é um traço tão característico de qualquer gajo que se preze, que a coisa já borda o estereótipo. Com a diferença de que é mais verdade do que mentira.

Mas considerações dessas à parte, sou fã de gadgets, desde pequenino. E como leitor acérrimo que sou, ter um e-reader sempre me pareceu mais uma questão de tempo do que outra coisa. Pois bem, cá está: comprei recentemente um Kobo Glo. Confesso que não tive que pensar muito para me decidir a comprá-lo, foi mais uma questão de ter dinheiro para o fazer e ir à Fnac mais próxima tratar disso.

É claro que há sempre questões que têm que ser resolvidas. Há de facto assim tantas vantagens em ter uma coisa destas, que compensem o ter que se gastar entre 80 a 130 euros para se comprar um? Eu digo que há.

Primeiro, há a vantagem óbvia: a portabilidade. Os livros na sua grande maioria também são portáteis, mas não me lembro da última vez em que vi alguém andar com 1000 livros atrás, na rua, algo que um e-reader permite fazer. Antes, quando ia de férias, tinha que levar uma mala cheia de livros e mesmo assim era à rasca. Agora posso ir uns anos de férias e só levar o meu Kobo, que pesa menos que a maior parte dos livros que eu leio.

Outra vantagem é por exemplo, se eu estiver a ler um livro daqueles que metem respeito aos assaltantes, enquanto arma de arremesso, um D.Quixote, um It, um O Nome do Vento, enfim, os nossos adorados calhamaços, e for para a faculdade, levo o bicho comigo, nos transportes? Lamento mas não vai acontecer. Por muito boas e viciantes que as milhentas páginas sejam, nada justifica eu andar com um livro tão pesado, pouco prático e ainda mais sujeito a estragar-se, pela rua fora. Com um e-reader posso ir calmamente no metro a ler o D.Quixote, parar para folhear Os Miseráveis e dar uma vista de olhos ao Guerra e Paz.

Depois há os livros grátis. É complicado encontrar livros mais recentes completamente grátis, e legais então, ainda pior, mas se em 10 minutos não encontrarem no Gutenberg.org dezenas e dezenas de livros interessantes, meus caros, sois umas almas perdidas. E se este fosse o único site assim... É o melhor e mais extenso, recheado de clássicos em várias línguas, mas há tantos, tantos, tantos, tantos sites com livros grátis, uns mais recentes que outros, mas todos grátis, que é ridículo não pensar nisto como uma vantagem. Eu pessoalmente passei 10 minutos no site da Kobo e valha-me santa Curie, fiquei logo com 50 ou 60 livros no e-reader!

No que toca a desvantagens, elas também andam aí, como é óbvio. Não é a mesma coisa agarrar num livro e virar as páginas, sentir o cheiro e a textura, folhear à vontade, ter na estante, com uma lombada bonitinha, e agarrar no e-reader para ler o que quer que seja. É muito menos pessoal e perde-se alguma da "magia", é verdade. Mas são duas coisas das quais abdico de livro vontade, em troca de poupar espaço e dinheiro (com os livros que já lá tenho, já devo ter pago o e-reader umas 6 ou 7 vezes) ao mesmo tempo que aumento e diversifico as minhas leituras. Além disso, é um gadget. É fixe.

E se querem que vos diga, o este e-reader em particular tem uma vantagem dupla: um aspecto em que é melhor que um livro e que um tablet. Tem luz. Sem essa luz, a leitura faz-se praticamente como se fosse num livro, sem problemas de reflexos manhosos e sem cansar a vista como acontece com um tablet, mas faz-se noite, liga-se a luz e abençoado sejas Kobo, posso ler num ambiente mais escuro sem ter que ligar um candeeiro ou algo do estilo e incomodar pessoas à minha volta, e a luz não serve ela própria de candeeiro, ao iluminar "para dentro", em vez de disparar luz cá para fora.

Posso continuar a discutir as vantagens e as desvantagens, mas acho que é mais produtivo contar-vos como tem sido a minha experiência pessoal. Já li o The Island of Doctor Moreau e alguns contos do DN no e-reader, e também já brinquei com pdf's de livros técnicos, e tenho a dizer que é óptimo. Com ficheiros no formato próprio, a leitura faz-se tranquilamente, e com pdf's é uma questão de fazer zoom e arrastar página, o que não é um problema tendo em conta que estes casos serão mais livros de consulta do que outra coisa. Em suma, não podia estar mais satisfeito!

E já mencionei que isto tem xadrez e sudoku?

12 comentários:

barroca disse...

Oi! eu tenho um kindle vai para 3 anos e nem pensar em ficar sem ele: levo sempre comigo dezenas de calhamaços que me pesam pouquíssimo, li grandes clássicos gratuitamente e como leio em inglês sem dificuldades, leio as novidades que quero a preços + baixos e não tenho dificuldade em arranjar os meus queridos títulos (de nicho) de terror e fantástico. ;D

priceless.

Rui Bastos disse...

Cada vez mais percebo isso mesmo!

Ana/Jorge/Rafa/Júlia disse...

Por acaso é uma alternativa da qual não sou muito fã, sou demasiado "materialista" nessas coisas, mas lá que dá um jeito e compensa o dinheiro, não duvido!

Jorge

Rui Bastos disse...

Pois, é por aí... e tens que pensar que se gostares mesmo do que leres nisto, podes ir comprar o livro, para teres.

Carolina disse...

acho a coisa mais fixe de sempre! sinceramente, acho que a cópia física de todos os livros não é essencial. tu assim podes ler montes e montes de livros - se calhar mais do que te cabe nas estantes - e possivelmente investir em coisas de que sejas mais fã :)

Rui Bastos disse...

A segunda parte é verdade, com a primeira já não concordo. É muito, muito subjectivo, mas eu pelo menos até gosto de ter os livros de que não gostei muito, ou que abominei. Talvez os esconda mais, e tenho de certeza muita mais facilidade em ver-me livre deles, mas é sempre outra coisa.. Goste ou não do livro, tê-lo apenas em formato digital acaba por ser sempre um pequeno sacrifício... Acho eu.

Anónimo disse...

Eu ja pensei em comprar um desses, ou kindle ou kobo mas comprar só mesmo para ler livros não me compensa mas se der para por e visualizar qualquer tipo de pdf's assim já me compensava. Por isso pergunto-me se isso é possivel e se da para ligar ao pc ou assim?
Cassandra

Rui Bastos disse...

Dá para ver pdf's, não é é tão prático para os ler, ainda que seja óptimo se for apenas para consultar.

E claro, ligar ao pc é parte essencial :)

Anónimo disse...

Qual é o melhor formato para se tirar os livros do primeiro site que indicas no comentario? e como é que se tira do segundo? Já tentei e nao estou a conseguir nenhum :S

Cassandra

Rui Bastos disse...

No gutenberg tanto faz, depende um pouco do aparelhómetro... No meu caso tenho sacado em epub.

No site da Kobo, é preciso ter-se conta e é só clicar "add to library".

Cat SaDiablo disse...

Bem-vindo ao dark side :)

Rui Bastos disse...

Isto agora é tipo seita? :p