quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Morte nas Nuvens


Autora: Agatha Christie
Tradutora: Luísa Feijó


Opinião: O típico caso de quarto fechado. Numa viagem de avião - em que Poirot, obviamente, participa - uma mulher é misteriosamente morta. O culpado tem de estar entre os presentes no compartimento, mas ninguém viu nada nem sabe de nada, apesar da morte ter ocorrido via zarabatana.

Eu juro que não sei como é que demoram tanto tempo a perceber que não foi com a zarabatana. Mas praticamente até ao fim é isso que acham. O quê? Spoiler? BOOHOOO, não me venham com tretas, ninguém acredita que se possa matar alguém, num avião cheio de gente, com uma zarabatana.

A única coisa menos discreta era uma betoneira.

Mas pronto, estes mistérios da vida lá acontecem, e se acham que a presença de Poirot significa que o crime ficou resolvido logo à partida, estão enganados. O nosso querido detective tem um estomac deveras fraco, portanto passa a viagem toda encolhido nas suas peles, a dormitar e a sofrer.

E é claro que depois toda a gente está relacionada, naquele avião. A investigação é a típica: Poirot sabe sempre mais do que toda a gente, apenas com as pistas que também são apresentadas a quem lê, e nunca revela nada até ao último instante.

Não me estou a queixar: já sei, quando pego em Agatha Christie, que a história vai ser algo assim. Raramente é algo muuuuito diferente. O que é impressionante nos livros dela, como neste, é a forma como ela me prende à leitura, apesar de eu saber isto tudo.

Eu consigo, literalmente, estar a ler e dizer "isto depois é importante. isto é só para enganar. agora falta o par romântico secreto. ai essa personagem usa boxers às bolinhas? então vai ser familiar do criminoso.", porque enfim, há coisas que acontecem sempre e que são extremamente óbvias.

A resposta ao mistério, por outro lado, não costuma ser óbvia. Aqui é assim-assim, mas normalmente a revelação é um momento climático pelo qual vale a pena esperar. É essa a magia de Agatha Christie. Essa, e o facto de conseguir garantir que daqui a uns tempos volto a pegar noutro livro dela!

3 comentários:

Jules Pijey disse...

Agatha Christie nunca falha! No meio de tanta coisa que podemos querer ler e experimentar e conhecer e sei lá mais o quê um Christie cai sempre bem, é sempre um descanso e um consolo para os olhos. Também tenho de ler um daqui a uns tempos.

Rui Bastos disse...

Agatha Christie rules! Quando acabar de ler todos, leio a autobiografia e depois recomeço xD

Se quiseres empresto-te, tenho alguns :p

Jules Pijey disse...

"Alguns" xD