sexta-feira, 19 de abril de 2013

A CGD anda a dormir?


Depois de ontem ter visto algures que a Caixa Geral de Depósitos ia ter livros da Saída de Emergência grátis nas suas agências, hoje deparo-me com a notícia que esse iniciativa, prevista para dia 23 deste mês, o Dia Mundial do Livro, foi cancelada (visto aqui e aqui).

Parece que a CGD descobriu que os livros desta editora, e passo a citar, "continham linguagem com o potencial de ferir a suscetibilidade de alguns clientes, não os considerando adequados ao posicionamento e imagem do banco.".

Só assim de repente, entre Martin, Charlaine Harris, David Soares e Alan Moore, que são os autores que me lembro que iam ter livros nesta iniciativa e que conheço, há muita linguagem por onde uma pessoa mais sensível se ofender. E outras coisas também. É mais do que verdade.

Mas a CGD só descobriu isso depois de ter anunciado o evento? É algo que me fascina. Eu sei que se cometem erros, e este tipo de coisas podem perfeitamente acontecer de forma inocente, mas a Saída de Emergência é uma editora com alguma visibilidade, e alguns desses livros têm MUITA visibilidade. Acho que a Caixa tinha mais do que motivos para ser minimamente responsável e avaliar bem a iniciativa, antes de efectivamente a querer desenvolver, se depois acaba por a cancelar, seja porque motivo for.

Mesmo assim, podia ter escolhido um motivo menos idiota. Não quero entrar em exageros, mas isto até soa ligeiramente a censura. "Sim, gostaríamos muito de oferecer livros a toda a gente, mas estes não, que têm palavras feias.". Compreendo que a Caixa tenha uma imagem e a queira manter, mas tenho quase a certeza de que os seus clientes são na sua maioria gente crescidinha, maior e vacinada. A única coisa que conseguiu, com esta quase-evento, foi denegrir um pouco a sua imagem junto dos ditos clientes.

E sim, isto tudo é parcialmente porque eu antes tinha direito a livros grátis, e agora não levo nada.

4 comentários:

helena frontini disse...

Livros desses autores com linguagem imprópria? Que se entende por linguagem imprópria?
É, no mínimo, risível!

Rui Bastos disse...

Pois que nem vale a pena!

Pedro disse...

Ridículo. Sinceramente, nem consigo perceber onde está a polémica dos livros. Mesmo que utilizem linguagem menos própria, não me parece que sejam livros perturbantes... Não são nenhum 1984!

Eu sei que parece censura, mas acho que até isso é uma desculpa para outra coisa qualquer. História muito, muito mal contada.

Rui Bastos disse...

Ou um Clockwork Orange... Nem vale a pena comentar, é como dizes, há aqui qualquer coisa que falta contar.