segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Que as citações nos caiam em cima [39]


"As nossas vidas estão riscadas nas palmas das mãos, como verdascadas de água na superfície da terra.

Então, batemos palmas para baralhar a vida, à espera que a vezada seguinte seja mais venturosa.

Viciámo-nos nesse jogo.

No entanto, as linhas das mãos são foscas como as faces dos fetos. Não se pode baralhar a vida. Só se pode vivê-la.

Adaptamo-nos desde a infância àquilo que nos foi talhado por forças imperceptíveis.

Obstar seria mergulhar onde babujam miseráveis cardumes. Seria húbris.

Loucura."

Palmas para o Esquilo
David Soares

4 comentários:

Luiz Santos-Roza disse...

A influência de William Gass e Alexander Theroux nota-se logo na aliteração de "foscas como faces de fetos."

Soares é o escritore portuguese, dentre os mais recentes, que mais me fascina pela qualidade da prosa.

Rui Bastos disse...

Tem momentos de brilhantismo, sem dúvida!

Luiz Santos-Roza disse...

Hm, "escritore portuguese." Realmente, alterar uma frase do plural para singular sem apagar todas as letras devidas é má ideia. E eu a falar de qualidade de prosa.

Adiante, fiquei estupefacto quando descobri que Soares considera o "Darconville's Cat" de Theroux o seu romance favorito; acho que é o único escritor português que alguma vez mencionou esse autor numa entrevista. O que para mim é bom sinal; é um grande escritor subvalorizado, até mesmo nos EUA, tão exigente que poucos se dão ao trabalho de o conhecer.

Rui Bastos disse...

Se há defeito que não podemos apontar a David Soares é falta de cultura literária. O homem é um autêntico académico e já está a mais de meio caminho para ser uma enciclopédia erudita do assunto!